[off] Se eu quiser fumar, eu fumo.

Agora querem que eu apague também o meu cigarro. Absurdo! Delírio! Devaneio! A vida já é suficientemente chata para que burocratizem até a fumaça que mando para dentro dos meus pulmões.

Aí se levantam os chatos de galochas, punhos ao alto, exigindo que se respeite o direito dos não-fumantes de não voltarem para casa com as roupas e os cabelos empregnados de fumaça, depois de irem para uma baladinha, assim como o direito de conservarem seus [chatos] pulmões limpinhos e saudáveis.

Concordo. Mas daí à proibição há um abismo enorme. Privilegiar um direito em detrimento de outro não é que se pode chamar de “justo”, afinal, eu também tenho o direito de acabar com o meu pulmãozinho.

Felizmente, se isso virar lei, lei é coisa para se transgredir, jamais respeitar!